Tudo sobre veículos motorizados!
Header


Os patinhos feios que as equipes apresentaram para disputar a temporada de 2014 da Fórmula 1 são filhos do novo regulamento e todas as restrições técnicas que mudaram a cara da categoria. Não é de hoje que os carros da F1 são exóticos. Principalmente na década de 70 tivemos uma enxurrada de aberrações que saíram das pranchetas para as pistas.

1971 March 711

1968 Lotus-Cosworth-49b

1979 Ensign N179

1976 Ligier JS5

1972 Ferrari 312 B3

1972 Eifelland Type 21

Mas apesar disso não podemos deixar o bom humor de lado…


Outra novidade da F1 para 2014 é a numeração dos pilotos que, de agora até a próxima revisão de regulamento, será fixa. Cada um dos 22 pilotos escolheu seu número entre 01 e 99. Nem precisava, mas a maioria deles justificou sua escolha por alguma razão sentimental, em geral foi o número com o qual ganhou algum título ou a primeira vitória. A lista vem a seguir, destacando apenas o fato de que Vettel escolheu o “5″, mas para quando deixar de ser campeão. Por enquanto vai com o “1″ mesmo.

Desde a semana passada as equipes de F1 começaram a apresentar seu bólidos para a temporada de 2014. As baratas, por conta do novo regulamento, estão competindo para ver qual é a mais feia. Aliás este ano espera-se uma grande mudança em todo o panorama da categoria, pois não havia uma alteração tão grande no regulamento a muitos anos. Começando pelos motores que desde 1989 eram aspirados e voltam a ser turbo e passando por muitas restrições aerodinâmicas, os projetistas tiveram que rebolar e invetar soluções mirabolantes para que seus carros sejam eficientes aerodinamicamente, aproveitando toda a potência do motor e reduzindo o consumo de pneus e combustível. O resultado está estampado nos rostos atônitos de cada fã e nas inevitáveis piadas que se seguiram por conta disso:

RedBull RB10

Ferrari F14 T

Mercedes-AMG-F1-W05

Lotus E22

McLaren-MP4-29

Williams FW36

Force-India-VJM07

Sauber_C33

STR9

Caterham T01

Falta a Marussia que adiou a apresentação do carro. Por enquanto a Caterham está vencendo…

Veja como são testados os motores da Formula 1, neste caso é o motor Renault RS27 750hp V8, que é utilizado nos carros da Red Bull, Lotus, Williams e Caterham.


O GP da Malásia começou com pista úmida e foi bastante movimentado. Logo de cara Felipe Massa perdeu a posição para Alonso, e por conta de más escolhas quanto ao seu posicionamento de pista, terminou a primeira volta em sétimo. Alonso, que largou em terceiro e já tinha ultrapassado Massa, se precipitou sobre a traseira do carro de Sebastian Vettel e acabou danificando o lado esquerdo de sua asa frontal. Terminou a volta em terceiro atrás de Webber e por decisão da Ferrari acabou sem parar aguardando a pista secar e fazer apenas uma troca para pneus slick. Só que o tiro saiu pela culatra e o bico acabou quebrando de vez e entrando em baixo do carro do espanhol, que perdeu o controle e viu sua corrida morrer na caixa de britas.

Vettel continuou na frente, mas acabou sendo ultrapassado pelo companheiro de equipe após as paradas de boxes. A corrida seguiu com alternância de posições e ultrapassagens, além de vários erros nas paradas de boxes, que foram 73 ao todo, até que o bicho pegou pra valer nas voltas finais, quando os dois carros da RedBull se encontraram na briga pela liderança, e as duas Mercedes também, na briga pelo último lugar no pódio. Apesar dos chefes de ambas as equipes mandarem pelo rádio ordens semelhantes, sugerindo aos seus pilotos que mantivessem as posição até o fim, tivemos desfechos diferentes e que geraram situações constrangedoras em ambas as equipes. Rosberg respeitou as ordens de Ross Brawn e se manteve passivo na cola de Lewis Hamilton, que teve de diminuir o ritmo para economizar combustível. Já o tri-campeão Vettel, partiu pra cima de Webber e ambos protagonizaram os melhores momentos da prova, alternando ultrapassagens até o alemão segurar a liderança e vencer a corrida, deixando Adrian Newey todo borrado. Claro que o clima esquentou no caminho para o pódio, onde Webber começou a soltar os cachorros criticando Vettel. Por sua vez os dois beneficiados deste final de semana fizeram declarações com tom semelhante na coletiva pós corrida. O tri-campeão disse que se arrependeu e pediu desculpas, que aparentemente não foram aceitas por Webber. Já Hamilton declarou apenas que quem deveria estar ali em seu lugar era Rosberg e a relação dos dois prateados não sofreu grandes abalos.

Na minha humilde opinião, estas deliberações de chefes de equipe somente prejudicam a imagem do esporte perante o público. Verdade que, além de uma competição individual entre pilotos, a F1 é uma competição por equipes, e preservar boas posições no final de uma corrida é uma decisão sensata. Mas olhando pelo lado do espectador, que paga ingresso, ou que acompanha a transmissão, seja por rádio ou tv, uma corrida decidida desta forma não é nada atrativa. O pior é que isso vai continuar acontecendo, mas o lado bom é que de vez em quando temos alguém como Vettel que busca a vitória dentro das regras, mas a qualquer custo.

image

Sebastian Vettel mais uma vez marcou a volta mais rápida na classificação e desta vez larga na  frente para o GP da Malásia. Na primeira fase do treino as pequenas acabaram fora como de costume e Sutil marcou o melhor tempo pois usou os pneus mais macios. No final do Q2 a chuva começou a cair e impediu os pilotos de melhorarem seus tempos. Rosberg foi o melhor e Vettel quase fica de fora. Com pista molhada no Q3 Vettel não deixou a pole escapar e marcou logo o melhor tempo. Massa mais uma vez superou Alonso e larga na primeira fila depois de 3 anos. Na minha opnião não deve durar muito. Alonso ficou em terceiro e Hamilton em quarto. Raikkonen que venceu o último GP e dominou os dois treinos livres de sexta, ficou apenas em sétimo, mas foi punido por manobra ilegal e larga em décimo. Vejamos o que Massa consegue pra cima de Vettel, mas com Alonso no cangote não apostaria muito no brasileiro.

Confira os tempos da classificação

1º Sebastian Vettel – Red Bull Racing-Renault – 1:49.674
2º Felipe Massa – Ferrari – 1:50.587
3º Fernando Alonso – Ferrari – 1:50.727
4º Lewis Hamilton – Mercedes – 1:51.699
5º Mark Webber – Red Bull Racing-Renault – 1:52.244
6º Nico Rosberg – Mercedes – 1:52.519
7º Jenson Button – McLaren-Mercedes – 1:53.175
8º Adrian Sutil – Force India-Mercedes – 1:53.439
9º Sergio Perez – McLaren-Mercedes – 1:54.136
10º Kimi Räikkönen – Lotus-Renault – punido

Q2
11º Romain Grosjean – Lotus-Renault – 1:37.636
12º Nico Hulkenberg – Sauber-Ferrari – 1:38.125
13º Daniel Ricciardo – STR-Ferrari – 1:38.822
14º Esteban Gutierrez – Sauber-Ferrari – 1:39.221
15º Paul di Resta – Force India-Mercedes – 1:44.509
16º Pastor Maldonado – Williams-Renault – sem tempo

Q1
17º Jean-Eric Vergne – STR-Ferrari – 1:38.157
18º Valtteri Bottas – Williams-Renault – 1:38.207
19º Jules Bianchi – Marussia-Cosworth – 1:38.434
20º Charles Pic – Caterham-Renault – 1:39.314
21º Max Chilton – Marussia-Cosworth – 1:39.672
22º Giedo van der Garde – Caterham-Renault – 1:39.932