Tudo sobre veículos motorizados!
Header

Desta vez não deu para Vettel vencer e tentar igualar o record de vitórias de Schumacher numa mesma temporada. O atual bi campeão marcou a pole no sábado e igualou o recorde de Mansell com 14 largadas na primeira posição, e apesar de ter necessitado de duas corridas a mais que o “Leão”, Vettel tinha tudo para vencer e buscar os números de Schumi. Mas quis o destino que um problema na suspensão traseira direita provocasse um furo no pneu e sua retirada precoce da corrida de Abu Dhabi ainda na primeira volta. A primeira posição caiu no colo de Hamilton que não desperdiçou a oportunidade e mantendo a vantagem para Alonso venceu mais uma vez e apagou as cagadas deste ano. Atrás dos dois a corrida foi um pouco mais animada com sucessivas trocas de posições, mas nada de empolgante comparando com outras provas deste ano. Resta o GP Brasil para terminar a temporada mais impressionante dos últimos anos e que na verdade já acabou a muito tempo. Este último GP acabou assim:

Classificação da Prova

1. Hamilton McLaren-Mercedes 1h37:11.886
2. Alonso Ferrari + 8.457
3. Button McLaren-Mercedes + 25.881
4. Webber Red Bull-Renault + 35.784
5. Massa Ferrari + 50.578
6. Rosberg Mercedes + 52.317
7. Schumacher Mercedes + 1:15.900
8. Sutil Force India-Mercedes + 1:17.100
9. Di Resta Force India-Mercedes + 1:40.000
10. Kobayashi Sauber-Ferrari + 1 volta
11. Perez Sauber-Ferrari + 1 volta
12. Barrichello Williams-Cosworth + 1 volta
13. Petrov Renault + 1 volta
14. Maldonado Williams-Cosworth + 1 volta
15. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari + 1 volta
16. Senna Renault + 1 volta
17. Kovalainen Lotus-Renault + 1 volta
18. Trulli Lotus-Renault + 2 voltas
19. Glock Virgin-Cosworth + 2 voltas
20. Liuzzi HRT-Cosworth + 2 voltas

Abandonos

Ricciardo HRT-Cosworth 49ª volta
Buemi Toro Rosso-Ferrari 19ª volta
D’Ambrosio Virgin-Cosworth 18ª volta
Vettel Red Bull-Renault 1ª volta

Campeonato de Pilotos

1. Vettel 374
2. Button 255
3. Alonso 245
4. Webber 233
5. Hamilton 227
6. Massa 108
7. Rosberg 83
8. Schumacher 76
9. Petrov 36
10. Sutil 34
11. Heidfeld 34
12. Kobayashi 28
13. Alguersuari 26
14. Di Resta 23
15. Buemi 15
16. Perez 14
17. Barrichello 4
18. Senna 2
19. Maldonado 1

Construtores

1. Red Bull-Renault 607
2. McLaren-Mercedes 482
3. Ferrari 353
4. Mercedes 159
5. Renault 72
6. Force India-Mercedes 57
7. Sauber-Ferrari 42
8. Toro Rosso-Ferrari 41
9. Williams-Cosworth 5

image

image

O GP do Canadá, disputado na tarde deste domingo foi mais uma das incríveis corridas que embalam a temporada 2011 da F1. Apesar de toda a imprevisibilidade de uma prova onde a chuva veio e se foi durante toda a corrida e a ponto de paralisá-la por 2 horas, Vettel era a única certeza. Largando na frente, o alemão da Red Bull dominou seus adversários e chegou à última volta em primeiro. Mas a pista ainda estava molhada e Button, mesmo após seis paradas, dois acidentes e uma puniҫão, vinha colado e conformafo, mas feliz da vida com a segunda posiҫão. Eis que o imbativel Vettel errou justamente quando não podia e o inglês da McLaren não perdoou, assumindo a lideranҫa e vencendo uma das provas mais incríveis de sua carreira. Outro nome que não pode ser esquecido é o de Lewis Hamilton. Mais uma vez o ímpeto do polêmico Hamilton foi maior que sua paciência e seu bom senso. O inglês destruiu sua corrida em apenas 4 voltas e quase levou Webber, Schumacher e Button com ele. Por sorte ele abandonou a corrida no comeҫo e não tirou ninguém da prova. Webber terminou em terceiro depois de “ser rodado” por Lewis na primeira volta e cair lá pra trás.
Schumacher passou perto de voltar a frequentar pódio desde seu retorno e terminou em quarto. Petrov fez um ótimo GP ficando em quinto, a frente de Massa que passou Kobayashi em cima da linha e ganhou mais alguns pontinhos para Ferrari. Alonso se erroscou com Button na volta 44 e ficou fora da prova. Os dois pilotos da Toro Rosso e Barrichelo fecharam os dez primeiros.

Na corrida:
1.  Button McLaren-Mercedes
1h23:50.995
2.  Vettel Red Bull-Renault a
2.709
3.  Webber Red Bull-Renault a
13.828
4.  Schumacher Mercedes a
14.219
5.  Petrov Renault a 20.395
6.  Massa Ferrari a 33.225
7.  Kobayashi Sauber-Ferrari a
33.270
8.  Alguersuari Toro Rosso-Ferrari a 35.964
9.  Barrichello Williams- Cosworth a 45.100
10. Buemi Toro Rosso-Ferrari a
47.000
11. Rosberg Mercedes a 50.400
12. de la Rosa Sauber-Ferrari a
1:03.600
13. Liuzzi HRT-Cosworth a 1  volta
14. Karthikeyan HRT-Cosworth a  1 volta
15. D’Ambrosio Virgin-Cosworth a
1 volta
16. Glock Virgin-Cosworth a 1
volta
17. Trulli Lotus-Renault a 1
volta
18. Di Resta Force India Mercedes a 3 voltas

Abandonos:
Maldonado Williams-Cosworth 62ª volta
Heidfeld Renault 57ª volta
Sutil Force India-Mercedes 50ª
volta
Alonso Ferrari 44ª volta
Kovalainen Lotus-Renault 36ª
volta
Hamilton McLaren-Mercedes 8ª
volta

Campeonato Pilotos:
1.  Vettel 161 pontos
2.  Button 101
3.  Webber 94
4.  Hamilton 85
5.  Alonso 69
6.  Massa 32
7.  Petrov 31
8.  Heidfeld 29
9.  Schumacher 26
10. Rosberg 26
11. Kobayashi 25
12. Sutil 8
13. Buemi 8
14. Barrichello 4
15. Alguersuari 4
16. Di Resta 2
17. Perez 2

Construtores:
1.  Red Bull-Renault 255 pontos
2.  McLaren-Mercedes 186
3.  Ferrari 101
4.  Renault 60
5.  Mercedes 52
6.  Sauber-Ferrari 27
7.  Toro Rosso-Ferrari 12
8.  Force India-Mercedes 10
9.  Williams-Cosworth 4


Os especialistas já estão apontando este como o terceiro melhor GP de Monaco da história da F1. Perde apenas para as provas de 1982, onde a liderança mudou inúmeras vezes, e o de 1992, quando Senna segurou Mansell atrás por meio GP. No meu entendimento, uma corrida só pode ser considerada memorável, quando é espetacular do começo ao fim. Na corrida de ontem o final ficou muito manchado por uma regra idiota de um regulamento que não dura mais que um ano sem alterações. Mas vamos do começo. Na largada Vettel manteve a ponta e a primeira curva foi limpa para todos. A RBR se atrapalhou no primeiro pitstop do alemão e o fez perder a liderança para Button. O inglês da McLaren assumiu a ponta e teria vencido a corrida, mesmo parando duas vezes nos boxes, se não tivesse que parar a terceira vez por erro de estratégia do time. A McLaren contava com pelo menos mais uma parada de Vettel, mas este viu que isso lhe custaria a vitória e o segundo lugar no pódio. Não parou e beneficiado pelas entradas do Safety Car conseguiu economizar pneus até quase o final. Alonso que sempre esteve na espreita dos dois, fez o que Button deveria ter feito. Parou duas vezes e colou em Vettel para tentar a ultrapassagem na pista. Faltando algumas voltas para o final, os três líderes estavam juntos e tudo poderia acontecer. Seria um final épico, independente de quem vencesse a prova. Mas eis que Petrov bateu forte e forçou uma paralisação do GP com bandeira vermelha faltando seis voltas para o término. Todos pararam e eis que para surpresas dos desatualizados com o regulamento, como eu e o Galvão por exemplo, trocaram os pneus de todos, incluindo é lógico os de Vettel e Alonso que estavam em frangalhos. Aí está o erro. Uma corrida onde tudo podia acontecer, teve seu final destruído com o que se viu em seguida. Seis voltas sem alterações de posições, sem nem sequer um esboço de qualquer ameaça de ultrapassagem. E foi isso. Vitória de Vettel, a quinta do ano, seguido por Alonso e Button.

Outro nome que ganhou muito destaque nesta corrida foi Lewis Hamilton, que tirou Massa e Maldonado do GP, fora outras tantas lambanças, que lhe custaram um acréscimo de 20 segundos ao seu tempo final. Saiu barato, já que na prática, a punição não alterou sua 6ª posição.

Na Corrida:
1. Vettel Red Bull-Renault 2h09:38.373
2. Alonso Ferrari a 1.138
3. Button McLaren-Mercedes a 2.378
4. Webber Red Bull-Renault a 23.100
5. Kobayashi Sauber-Ferrari a 26.900
6. Hamilton McLaren-Mercedes a 27.200
7. Sutil Force India-Mercedes a 1 volta
8. Heidfeld Renault a 1 volta
9. Barrichello Williams-Cosworth a 1 volta
10. Buemi Toro Rosso-Ferrari a 1 volta
11. Rosberg Mercedes a 1 volta
12. Di Resta Force India-Mercedes a 2 voltas
13. Trulli Lotus-Renault a 2 voltas
14. Kovalainen Lotus-Renault a 2 voltas
15. D’Ambrosio Virgin-Cosworth a 2 voltas
16. Liuzzi HRT-Cosworth a 3 voltas
17. Karthikeyan HRT-Cosworth a 3 voltas
18. Maldonado Williams-Cosworth a 5 voltas

Abandonos:
Petrov Renault 68ª volta
Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 68ª volta
Massa Ferrari 33ª volta
Schumacher Mercedes 33ª volta
Glock Virgin-Cosworth 31ª volta
Perez Sauber-Ferrari 1ª volta

Campeonato de Pilotos:
1. Vettel 143
2. Hamilton 85
3. Webber 79
4. Button 76
5. Alonso 69
6. Heidfeld 29
7. Rosberg 26
8. Massa 24
9. Petrov 21
10. Kobayashi 19
11. Schumacher 14
12. Sutil 8
13. Buemi 7
14. Perez 2
15. Barrichello 2
16. Di Resta 2

Construtores:
1. Red Bull-Renault 222
2. McLaren-Mercedes 161
3. Ferrari 93
4. Renault 50
5. Mercedes 40
6. Sauber-Ferrari 21
7. Force India-Mercedes 10
8. Toro Rosso-Ferrari 7
9. Williams-Cosworth 2

image

O atual campeão  venceu pela segunda vez no GP da Malásia. Assim como em 2010, Vettel foi inalcansável no circuito de Sepang. Largando na pole o alemão da RBR venceu de ponta a ponta. Mas, diferente do ano passado, este GP esteve longe de ser uma corrida chata. Com uma largada excepcional Heidfeld pulou de sexto para segundo e segurou Hamilton atrás de sua Lotus Renault até a primeira parada nos boxes, quando o time o devolveu à pista lá atrás. Porém, com alguns imprevistos sofridos pelos rivais e muita sorte, o substituto de Kubica se redimiu do desastre em Melbourne e acabou em terceiro. Button também se aproveitou do incidente entre Hamilton e Alonso e depois de três paradas, como todos, levou a Mclaren mais uma vez ao segundo lugar no podio. Webber teve uma largada desastrosa caindo de 3° para 10°. Veio ganhando posiҫões e mesmo com problemas no Kers acabou em 4°. Massa largou muito bem pulando na frente de Alonso. Mas a Ferrari conseguiu mais uma vez estragar o que poderia ser uma ótima prova. Por fim o brasileiro deu sorte com o toque do espanhol em Hamilton e terminou em 5°. Não fosse o toque, Alonso teria brigado pelo primeiro pódio dos italianos no ano. Acabou punido, assim como o inglês da Mclaren, com 20 segundos acrescidos ao tempo final. Lewis levou a pior, perdendo uma posiҫão para Kobayashi. Shumacher e Paul di Resta fecharam os 10 primeiros. Pois é, corrida boa é assim, muita coisa pra falar e já falei demais. O resto está descrito sumariamente nos tempos abaixo.
Classificaҫão da prova:
1. Vettel Red Bull-Renault 1h37:39.832
2. Button McLaren-Mercedes + 3.26
3. Heidfeld Renault + 25.075
4. Webber Red Bull-Renault + 26.384
5. Massa Ferrari + 36.958
6. Alonso Ferrari + 37.248 (+ 57.248 sancionado +20 segundos
7. Kobayashi Sauber-Ferrari + 1:07.239
8. Hamilton McLaren-Mercedes + 49.957 (+ 1:09.957, sancionado +20 segundos
9. Schumacher Mercedes + 1:24.896
10. Di Resta Force India-Mercedes + 1:31.563
11. Sutil Force India-Mercedes + 1:45.000
12. Rosberg Mercedes + 1 vuelta
13. Buemi Toro Rosso-Ferrari + 1 vuelta
14. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari + 1 vuelta
15. Kovalainen Lotus-Renault + 1 vuelta
16. Glock Virgin-Cosworth + 2 vueltas
17. Petrov Renault + 4 vueltas


Alonso venceu com méritos o GP da Itália, disputado em Monza e apagou de vez, pelo menos para os fãs, a mancha na imagem da Ferrari, pelo jogo de equipe no GP da Alemanha. Na largada o espanhol perdeu a primeira posição para Button e ainda teve de se virar com Massa que quase tomou-lhe a segunda. Manteve-se na cola do inglês da McLaren, precionando até a parada nos boxes, quando ficou uma volta a mais na pista e recuperou a posição perdida na largada. Massa por sua vez se enrroscou com Hamilton e por sorte não saiu da prova. Já o inglês admitiu o erro pelo abandono, perdeu a liderança do campeonato e confessou em entrevista que falhas como esta podem lhe custar o título mais tarde. Webber, que largou mal em quarto, caiu para a nona posição e não pode fazer mais do que um sexto lugar. O bastante para assumir novamente a liderança do campeonato, mas pouco para o que poderia ter ganho de vantagem com o abandono de Lewis. Vettel é que se deu bem nessa história. Adiou o máximo sua parada e colheu os frutos de uma boa estratégia, herdando o quarto lugar do companheiro. Destaque para a boa atuação de Rosberg (5°), e Hulkenberg (7°), que largaram muito bem e conseguiram ótimos resultados. A verdade é que a disputa pelo título continua equilibrada e aberta entre cinco candidatos, com apenas 24 pontos separando o líder Webber do quinto Vettel. E ainda faltam 5 provas, ou seja, 125 pontos em jogo.

Classificação da prova:

1. Alonso Ferrari 1h16:24.572
2. Button McLaren-Mercedes a 2.938
3. Massa Ferrari a 4.223
4. Vettel Red Bull-Renault a 28.193
5. Rosberg Mercedes a 29.942
6. Webber Red Bull-Renault a 31.276
7. Hulkenberg Williams-Cosworth a 32.812
8. Kubica Renault a 34.028
9. Schumacher Mercedes a 44.948
10. Barrichello Williams-Cosworth a 1:04.200
11. Buemi Toro Rosso-Ferrari a 1:05.00
12. Liuzzi Force India-Mercedes a 1:06.100
13. Petrov Renault a 1:18.900
14. De la Rosa Sauber-Ferrari a 1 volta
15. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari a 1 volta
16. Sutil Force India-Mercedes a 1 volta
17. Glock Virgin-Cosworth a 2 voltas
18. Kovalainen Lotus-Cosworth a 2 voltas
19. Di Grassi Virgin-Cosworth a 2 voltas
20. Yamamoto HRT-Cosworth a 2 voltas

Abandonos

Trulli Lotus-Cosworth 47ª volta
Senna HRT-Cosworth 12ª volta
Hamilton McLaren-Mercedes 1ª volta
Kobayashi Sauber-Ferrari 1ª volta

Campeonato de Pilotos

1. Webber 187
2. Hamilton 182
3. Alonso 166
4. Button 165
5. Vettel 163
6. Massa 124
7. Rosberg 112
8. Kubica 108
9. Schumacher 46
10. Sutil 45
11. Barrichello 31
12. Kobayashi 21
13. Petrov 19
14. Hulkenberg 16
15. Liuzzi 13
16. Buemi 7
17. De la Rosa 6
18. Alguersuari 3

Construtores

1. Red Bull-Renault 350
2. McLaren-Mercedes 347
3. Ferrari 290
4. Mercedes 158
5. Renault 127
6. Force India-Mercedes 58
7. Williams-Cosworth 47
8. Sauber-Ferrari 27
9. Toro Rosso-Ferrari 10


Depois de quase dois anos de abstinência, a Ferrari voltou a sentir o gostinho de marcar uma pole. A última aconteceu em Interlagos, quando Massa, disputando o título com Hamilton, largou na frente. Apesar de ter marcado o melhor tempo no Q1, desta vez não deu pro brasileiro. Coube a Alonso largar na frente diante da torcida italiana em Monza. Com um tempo fulminante logo no começo do Q3, o espanhol assegurou a pole e ficou surpreso por ninguém ter melhorado seu tempo. Button larga em segundo melhor tempo, seguido por Massa e Webber. Os grandes favoritos para o título decepcionaram. Hamilton em quinto tem que largar muito bem e ganhar posições para manter a ponta da tabela. Já Vettel, apenas em sexto, vê sua primeira grande chance de ganhar um título escapando por culpa de seu próprios erros. Rosberg, Hulkenberg, Kubica e Barrichelo fecham os dez primeiros. Fato é que a Ferrari e McLaren voltaram com tudo depois das férias e a RBR estacionou seu desenvolvimento, ficando fora da primeira fila pela primeira vez no ano.

Grid de Largada:

Q3
1. Alonso Ferrari 1:21.962s
2. Button McLaren-Mercedes 1:22.084s
3. Massa Ferrari 1:22.293s
4. Webber Red Bull-Renault 1:22.433s
5. Hamilton McLaren-Mercedes 1:22.623s
6. Vettel Red Bull-Renault 1:22.675s
7. Rosberg Mercedes 1:23.027s
8. Hulkenberg Williams-Cosworth 1:23.037s
9. Kubica Renault 1:23.039s
10. Barrichello Williams-Cosworth 1:23.328s

Q2
11. Sutil Force India-Mercedes 1:23.199s
12. Schumacher Mercedes 1:23.388s
13. Kobayashi Sauber-Ferrari 1:23.659s
14. Buemi Toro Rosso-Ferrari 1:23.681s
15. Petrov Renault 1:23.819s
16. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 1:23.919s
17. de la Rosa Sauber-Ferrari 1:24.044s

Q1
18. Trulli Lotus-Cosworth 1:25.540s
19. Kovalainen Lotus-Cosworth 1:25.742s
20. Liuzzi Force India-Mercedes 1:25.774s
21. Glock Virgin-Cosworth 1:25.934s
22. di Grassi Virgin-Cosworth 1:25.974s
23. Senna HRT-Cosworth 1:26.847s
24. Yamamoto HRT-Cosworth 1:27.020s