Tudo sobre veículos motorizados!
Header

Button e Ross
E pelo quinto ano consecutivo o GP Brasil foi palco da decisão do mundial de Fórmula 1. Button contou com muita sorte, aquela mesma que corre ao lado dos campeões, para conseguir o título antecipado. Sorte não seria o bastante. Jenson se arriscou muito brigando por posições, foi agressivo como não se viu nesta segunda metade da temporada. Mas além da sorte, ele contou com o azar dos concorrentes. Vettel classificou-se muito mal e tinha chances mínimas de marcar sete pontos a mais que o inglês. Barrichello, que tinha tudo para levar a decisão para Abu Dhabi, pois largava na pole, perdeu a liderança na parada de boxes, graças a um carro que já não é o mesmo do início do mundial, e para completar teve um pneu furado no final da prova, o que o obrigou a fazer mais uma parada. Se tudo isso não fosse suficiente, cinco dos treze carros que estavam entre o brasileiro e Button, tiveram problemas abrindo caminho para o título antecipado. Logo na primeira volta, Trulli bateu em Sutil que bateu em Alonso, causando o abandono dos três e a quase briga entre o italiano e o alemão. Kovalainen arrancou a mangueira de reabastecimento, banhou Kimi, que vinha logo atrás, e quase causou uma explosão nos boxes. O italiano brigão e o finlandes incendiário foram multados. Rosberg também abandonou com quebra no câmbio. Bem não temos muito o que falar. O título foi para Button, Vettel assumiu a vice-liderança e nos resta torcer para Rubinho correr bem em Abu Dhabi e fechar o ano de ouro da Brawn GP, que já conquistou construtores e piloto. Destaco aqui a nobreza do brasileiro que assim que cruzou a linha de chegada cumprimentou o campeão e não deixou de participar da festa da equipe pela dupla conquista.
Ah sim a vitória ficou com Webber, seguido de Kubica e Hamilton.


Classificação

1. Webber Red Bull-Renault 1h32:23.081s
2. Kubica BMW Sauber a 7.626s
3. Hamilton McLaren-Mercedes a 18.944s
4. Vettel Red Bull-Renault a 19.652s
5. Button Brawn-Mercedes a 29.005s
6. Raikkonen Ferrari a 33.340s
7. Buemi Toro Rosso-Ferrari a 35.991s
8. Barrichello Brawn-Mercedes a 45.454s
9. Kovalainen McLaren-Mercedes a 48.499s
10. Kobayashi Toyota a 1:03.324s
11. Fisichella Ferrari a 1:10.665s
12. Liuzzi Force India-Mercedes a 1:11.388s
13. Grosjean Renault a 1 volta
14. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari a 1 volta

Abandonos

Nakajima Williams-Toyota 31ª volta
Rosberg Williams-Toyota 28 ª volta
Heidfeld BMW Sauber 22 ª volta
Sutil Force India-Mercedes 1 ª volta
Trulli Toyota 1 ª volta
Alonso Renault 1 ª volta

Campeonato:

Pilotos:

1. Button 89
2. Vettel 74
3. Barrichello 72
4. Webber 61.5
5. Hamilton 49
6. Raikkonen 48
7. Rosberg 34.5
8. Trulli 30.5
9. Alonso 26
10. Glock 24
11. Kovalainen 22
12. Massa 22
13. Kubica 17
14. Heidfeld 15
15. Fisichella 8
16. Sutil 5
17. Buemi 5
18. Bourdais 2

Construtores:

1. Brawn-Mercedes 161
2. Red Bull-Renault 135.5
3. McLaren-Mercedes 71
4. Ferrari 70
5. Toyota 54.5
6. Williams-Toyota 34.5
7. BMW Sauber 32
8. Renault 26
9. Force India-Mercedes 13
10. Toro Rosso-Ferrari 7

Barrichello pole
O torcedor brasileiro volta a sonhar em ter mais um título mundial de Fórmula 1. Apesar de todos os transtornos e atrasos causados pelo mal tempo em São Paulo, Rubinho marcou a pole como quem corre no quintal de casa. Aliás, este é o caso. Mas a grande chance do brasileiro de voltar à briga pelo título deste ano aconteceu graças ao fiasco da qualificação de Vettel e Button que fracassaram no Q1 e Q2 consecutivamente. Graças a chuva que caiu na hora errada, Vettel não conseguiu tempo para passar da primeira fase do treino e largará em 16º. O alemão saiu esbravejando do carro e começou as explicações aos repórteres com palavrões. Pior para ele, foi ver seu companheiro de equipe, o australiano Mark Webber, largar em segundo, mostrando o verdadeiro potencial dos carros da RBR. No Q1 também ficaram as duas McLarens, mostrando a deficiência de Hamilton na pista brasileira, a BMW de Heidfeld, e a Ferrari de Fisichella, que rodou no início do treino. Já Button, insistiu em ficar com pneus para chuva extrema no momento em que a pista estava secando e não conseguiu ficar entre os dez mais rápidos. Largará em 14º e vê sua enorme vantagem no campeonato ameaçada pela pole do principal concorrente. Quatorze pontos a frente de Rubinho, Button pode sair do Brasil apenas com quatro de vantagem, isso se não conseguir marcar pontos e se Barrichello vencer a prova. O brasileiro passou para o Q3 marcando apenas o décimo tempo, mas se recuperou incrivelmente, graças a melhora da pista, e travou uma briga ferrenha com Webber pela pole, conquistando-a finalmente. Foi a primeira de Rubinho no ano e será a grande chance de vencer sua primeira em casa, além de obter uma possibilidade real de conquistar seu primeiro título em Abu Dhabi. Isso se o carro largar né não!!!

Os tempos:
Q3
1 Barrichello Brawn-Mercedes 1:19.576
2 Webber Red Bull-Renault 1:19.668
3 Sutil Force India-Mercedes 1:19.912
4 Trulli Toyota 1:20.097
5 Raikkonen Ferrari 1:20.168
6 Buemi Toro Rosso-Ferrari 1:20.250
7 Rosberg Williams-Toyota 1:20.326
8 Kubica BMW-Sauber 1:20.631
9 Nakajima Williams-Toyota 1:20.674
10 Alonso Renault 1:21.422
Q2
11 Kobayashi Toyota 1:21.960
12 Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 1:22.231
13 Grosjean Renault 1:22.477
14 Button Brawn-Mercedes 1:22.504
15 Liuzzi Force India-Mercedes –
Q1
16 Vettel Red Bull-Renault 1:25.009
17 Kovalainen McLaren-Mercedes 1:25.052
18 Hamilton McLaren-Mercedes 1:25.192
19 Heidfeld BMW-Sauber 1:25.515
20 Fisichella Ferrari 1:40.703

Vettel Suzuka 2009
Vettel foi pole, venceu e ainda tem chances no mundial. Mas sua posição não é das mais confortáveis, 16 pontos atrás do inglês da Brawn, bastando para Button marcar apenas 4 pontos nas duas últimas corridas para desbancar o alemão. É impressionante como os carros brancos de Barrichello e seu companheiro oscilam entre apresentações devastadoras e pífios 7º e 8º lugares, como os de hoje. A regularidade certamente não é o forte do time de Ross Brawn, mas a verdade é que os títulos de piloto e construtores estão praticamente garantidos. Rubinho tem uma missão bastante árdua para a próxima corrida em casa. Para impedir o título antecipado de Button, ele terá de marcar cinco pontos a mais que seu companheiro em Interlagos e rezar para acontecer algum milagre na última corrida em Abu Dhabi. Praticamente demitido, Jarno Trulli mais uma vez chegou em segundo superando o atual campeão da McLaren, Lewis Hamilton. Graça a Deus não sou o Rubinho, mas se fosse tomaria muito cuidado para não perder o vice-campeonato para Vettel.

Resultado da corrida:
1. Vettel Red Bull-Renault 1h28:20.443
2. Trulli Toyota a 4.877
3. Hamilton McLaren-Mercedes a 6.472
4. Raikkonen Ferrari a 7.940
5. Rosberg Williams-Toyota a 8.793
6. Heidfeld BMW Sauber a 9.509
7. Barrichello Brawn-Mercedes a 10.641
8. Button Brawn-Mercedes a 11.474
9. Kubica BMW Sauber a 11.777
10. Alonso Renault a 13.065
11. Kovalainen McLaren-Mercedes a 13.735
12. Fisichella Ferrari a 14.596
13. Sutil Force India-Mercedes a 14.959
14. Liuzzi Force India-Mercedes a 15.734
15. Nakajima Williams-Toyota a 17.973
16. Grosjean Renault a 1 volta
17. Webber Red Bull-Renault a 2 voltas

Mundial de Pilotos:
1. Button 85
2. Barrichello 71
3. Vettel 69
4. Webber 51.5
5. Raikkonen 45
6. Hamilton 43
7. Rosberg 34.5
8. Trulli 30.5
9. Alonso 26
10. Glock 24
11. Kovalainen 22
12. Massa 22
13. Heidfeld 15
14. Kubica 9
15. Fisichella 8
16. Sutil 5
17. Buemi 3
18. Bourdais 2

Construtores:
1. Brawn-Mercedes 156
2. Red Bull-Renault 120.5
3. Ferrari 67
4. McLaren-Mercedes 65
5. Toyota 54.5
6. Williams-Toyota 34.5
7. Renault 26
8. BMW Sauber 24
9. Force India-Mercedes 13
10. Toro Rosso-Ferrari 5

B.Senna
A revista portuguesa Auto Sport, divulgou em seu site que a Brawn GP deve realizar novos testes com jovens promessas do esporte a motor no final da temporada corrente. O primeiro nome da lista… Bruno Senna. O jovem piloto paulistano, testou com o carro da extinta equipe Honda no final de 2008 e deixou boa impressão para Ross Brawn e Nick Fry. Bruno ficou muito perto de correr este ano pela equipe inglesa e de disputar o título com Button, mas no último momento Rubens Barrichello ressurgiu para melar os sonhos do novo Senna. Bem, parece que Ross cansou de lidar com as declarações desastrosas, as constantes reclamações e críticas do piloto mais blá blá blá da categoria. Barrichello não corre em 2010, podem escrever, pelo menos não na Brawn GP. Será um final de carreira mais digno, do que seria em 2008. Pelo menos este ano ele teve um bom carro para andar na frente e mostrar que ainda é um bom segundo piloto para qualquer equipe. Já Bruno terá de repetir o bom resultado nos testes para conquistar um dos cockpit mais disputados de 2010. Nossa torcida fica toda para ele.
Aqui um dos motivos pela preferência por Bruno:

Vettel
E não é que temos uma concorrente a altura da Brawn! Este final de semana de GP da Inglaterra em Silverstone, a RBR dominou os treinos e a corrida. Na classificação de sábado Barrichello tentou uma reação e conseguiu largar em segundo se posicionando entre as RBRs de Vettel de Webber. Mas sua reação só durou algumas voltas. Rubens largando com menos combustível e tendo de ir pra cima de Vettel, mais uma vez se mostrou lento e pouco competitivo, sendo mais tarde ultrapassado por Webber que fechou a dobradinha da Red Bull no circuito inglês. A desculpa desta vez… uma forte dor nas costas que o impossibilitou de impedir a reação da equipe austríaca no campeonato. Por falar nisso, desde os tempos de Berger que não se via tocar o hino da Austria no pódio da Fórmula 1. Mas peraí, estamos esquecendo de alguém. Ah, Jenson Button, o líder do campeonato, foi tão apagado nesta prova que praticamente não apareceu na transmissão. Largou em sexto e chegou em sexto. Correndo em casa o inglês descepcionou o público que esperava por mais um chocolate de sua equipe. Grande exibição fez Felipe Massa que prometia passar por mais um fim de semana desastroso com sua Ferrari F60, pois largava apenas em 11º, mas deu a volta nos adversários e chegou em um surpreendente 4º lugar. Hilária a ilustração de Bruno Mantovanni representando primeiro a expectativa para a corrida e depois o resultado da mesma:
gp_inglaterragp_inglaterra_pilotoons

brawngp
Aconteceu tudo o que o inglês precisava para entrar na seleta lista dos pilotos que começaram a temporada ganhando 5 em 6 corridas. Largando na frente, Button se manteve na frente e abriu boa vantagem para Barrichello, que também largou bem e pulou de terceiro para segundo, passando por cima de Kimi. Jenson apenas perdeu a liderança momentaneamente durante os pit stops, recuperando logo em seguida, ou seja venceu de ponta a ponta. O saldo para os brasileiros foi positivo, exceto para Piquet, que quando não bate, é atropelado. Rubinho agarrou a segunda posição na largada e não soltou mais, chegando a frente de Kimi, que a tempos não chegava nem em terceiro. Felipe Massa, em alguns momentos na prova teve chances de chegar em melhor posição, mas o quarto posto já foi bastante positivo para ele e para a Ferrari, que recupera força e pode incomodar a Brawn nas próximas etapas. Apresentação desastrosa mesmo fizeram Vettel, que estava bem cotado para brigar com as Brawn mas acabou destruindo o carro nos muros do Principado. Outro que também se deu muito mal foi o vencedor do ano passado e atual campeão, Lewis Hamilton, que bateu na classificação, ia largar em 16° mas precisou trocar o câmbio e saiu da 20° e última posição. Durante a corrida, tentando recuperar o terreno perdido, bateu e teve de fazer uma parada a mais para trocar o bico danificado, e acabou chegando apenas em 12°, uma volta atrás de Button. Aparentemente o campeonato já está decidido a favor de Brawn e Button, a menos que aconteça alguma merda muito foda. Resta saber se Rubinho terá fôlego para manter a vice liderança até o final da temporada.

Largada

Largada

Button larga bem

Button larga bem

Buemi e Piquet

Buemi e Piquet

George Lucas

George Lucas

No pódio

No pódio

Os tempos

Os tempos