Tudo sobre veículos motorizados!
Header


O GP da Bélgica, que marcou o impressionante número de 300 corridas para Rubens Barrichello, não durou muito para o brasileiro. E desta vez ele não pode culpar ninguém além dele mesmo. Todos os pilotos largaram de pneus para pista seca, mas já na segunda volta, a chuva caiu de leve e transformou a pista em um sabão. Rubinho acabou escorregando e saindo da prova na traseira de Alonso. O espanhol continuou, mas sem chances de conseguir um bom resultado. Quem se deu bem mesmo foi Lewis Hamilton, que se aproveitou do enorme vacilo de Mark Webber na largada e assumiu a ponta para não perder mais. Webber caiu para sétimo, mas veio de recuperando, principalmente com a ajuda dos ótimos pit stops da RBR, e nas últimas voltas quando a chuva voltou a cair superou Kubica ficando com uma segunda ótima colocação. Logo atrás vinham Button e Vettel disputando uma quarta posição, quando o alemão perdeu o controle do carro, tirou o inglês da corrida e provavelmente da disputa pelo título. Quem se deu bem com essa briga foi Massa, que herdou a quarta posição. Sutil confirmou mais uma vez que o carro da Force India anda muito bem em pista como Spa e Monza, chegando em quinto. E logo atrás dele os dois carros da Mercedes com Rosberg e Shumacher, respectivamente. ótimo resultado pra quem largou lá atrás. Vettel foi apenas o 15° e Alonso foi o último a abandonar a corrida ao bater na 38ª volta. Com isso o novo lider do mundial é Lewis Hamilton, seguido de perto por Webber. Com mais de uma vitória atrás vem Vettel com Button em quarto.

Na corrida:

1. Hamilton McLaren-Mercedes 1h29m04.268s
2. Webber Red Bull-Renault a 1.571s
3. Kubica Renault a 3.493s
4. Massa Ferrari a 8.264s
5. Sutil Force India-Mercedes a 9.094s
6. Rosberg Mercedes a 12.359s
7. Schumacher Mercedes a 15.548s
8. Kobayashi Sauber-Ferrari a 16.678s
9. Petrov Renault a 23.851s
10. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari a 29.457s
11. Liuzzi Force India-Mercedes a 34.831s
12. De la Rosa Sauber-Ferrari a 36.019s
13. Buemi Toro Rosso-Ferrari a 39.895s
14. Hulkenberg Williams-Cosworth a 1 volta
15. Vettel Red Bull-Renault a 1 volta
16. Kovalainen Lotus-Cosworth a 1 volta
17. Di Grassi Virgin-Cosworth a 1 volta
18. Glock Virgin-Cosworth a 1 volta
19. Trulli Lotus-Cosworth a 1 volta
20. Yamamoto HRT-Cosworth a 2 voltas

Abandonos:

Alonso Ferrari 38ª volta
Button McLaren-Mercedes 16ª volta
Senna HRT-Cosworth 6ª volta
Barrichello Williams-Cosworth 1ª volta

Campeonato Pilotos:

1. Hamilton 182 pontos
2. Webber 179
3. Vettel 151
4. Button 147
5. Alonso 141
6. Massa 109
7. Kubica 104
8. Rosberg 102
9. Sutil 45
10. Schumacher 44
11. Barrichello 30
12. Kobayashi 21
13. Petrov 19
14. Liuzzi 12
15. Hulkenberg 10
16. Buemi 7
17. De la Rosa 6
18. Alguersuari 4

Construtores:

1. Red Bull-Renault 330
2. McLaren-Mercedes 329
3. Ferrari 250
4. Mercedes 146
5. Renault 123
6. Force India-Mercedes 57
7. Williams-Cosworth 40
8. Sauber-Ferrari 27
9. Toro Rosso-Ferrari 11

E depois dizem que pilotos de Fórmula 1 são sujeitos antipáticos.


Em uma visitinha à garagem histórica da McLaren, Hamilton e Button babaram o MP4/4 que em 1988 nas mãos de Senna e Prost venceram 15 das 16 provas do ano. Só não ganharam todas porquê no GP da Itália, vencido por Berger, Prost teve problemas de motor e Senna se precipitou ao ultrapassar um retardatário e acabou batendo quando liderava a corrida. Foi o ano do primeiro título do brasileiro. E foi no carro dele que os dois últimos campeões sentiram a sensação de entrar no cockpit daquele que, para muitos, é o melhor carro da história da Fórmula 1.


A Alemanha realmente dominou o domingo. Na Copa os alemães mandaram os ingleses pra casa. No GP da Europa, disputado em Valência, Vettel dominou a corrida de ponta a ponta, deixando os ingleses Hamilton e Button logo atrás. Na largada, Hamilton partiu pra cima de Webber e assumiu a segunda posição para não perder mais, mesmo sendo punido. O australiano parecia ter problemas e perdeu muitas posições na primeira volta. Tentando recuperar o prejuízo acabou subindo no carro de Kovalainen e decolando para protagonizar um dos acidentes mais espetaculares dos últimos tempos. Aí começou toda a confusão deste GP. Com a entrada do Safety Car, muitos carros entraram nos boxes e andaram acima da velocidade permitida para não perder tempo. Hamilton ultrapassou o carro de segurança quando deveria ficar atrás dele, mantendo a segunda posição. Os carros que fizeram tudo certo, entre eles as duas Ferraris, foram os mais penalizados, pois caíram lá pra trás. Alonso que estava em 3° e Massa em 4°, caíram para 10° e 14° respectivamente. O grande problema é que Lewis só foi punido depois da reclamação de Alonso e 14 voltas depois do ocorrido, o que lhe permitiu manter a vice-liderança, mesmo passando pelos boxes para pagar a punição. Os outros espertinhos só foram punidos depois da prova com o acréscimo de cinco segundos ao tempo, o que não alterou muito o resultado final. Hoje os italianos colocaram uma nota em seu site dizendo que os acontecimentos de ontem são um verdadeiro escândalo para a categoria. Mas voltando a falar de Vettel, ao receber a bandeirada, seu mecânico que é inglês, o parabenizou e brincou dizendo que seria a única vitória alemã do dia. Ele só saberia que estava errado duas horas depois.


Eu ia até esquecendo de mencionar o melhor resultado de Barrichello no ano com seu 4° lugar de ontem.
Classificação final:
1. Vettel Red Bull-Renault
2. Hamilton McLaren-Mercedes
3. Button McLaren-Mercedes
4. Barrichello Williams-Cosworth
5. Kubica Renault
6. Sutil Force India-Mercedes
7. Kobayashi Sauber-Ferrari
8. Alonso Ferrari
9. Buemi Toro Rosso-Ferrari
10. Rosberg Mercedes
11. Massa Ferrari
12. De la Rosa Sauber-Ferrari
13. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari
14. Petrov Renault
15. Schumacher Mercedes
16. Liuzzi Force India-Mercedes
17. Di Grassi Virgin-Cosworth
18. Chandhok HRT-Cosworth
19. Glock Virgin-Cosworth
20. Senna HRT-Cosworth
21. Trulli Lotus-Cosworth

Campeonatos:
Pilotos
1. Hamilton 127
2. Button 121
3. Vettel 115
4. Webber 103
5. Alonso 98
6. Kubica 83
7. Rosberg 75
8. Massa 67
9. Schumacher 34
10. Sutil 31
11. Barrichello 19
12. Liuzzi 12
13. Buemi 9
14. Kobayashi 7
15. Petrov 6
16. Alguersuari 3
17. Hulkenberg 1

Construtores
1. McLaren-Mercedes 248
2. Red Bull-Renault 218
3. Ferrari 165
4. Mercedes 109
5. Renault 89
6. Force India-Mercedes 43
7. Williams-Cosworth 20
8. Toro Rosso-Ferrari 10
9. Sauber-Ferrari 7

Veja o acidente de Webber enquanto a FOM não tira do ar:


Finalmente o domínio das RBRs nos treinos de classificação foi quebrado hoje. Hamilton veio voando pelo circuito Gilles Villeneuve em sua última tentativa e marcou o tempo de 1.15,105seg, batendo Mark Webber que caminhava para mais uma pole no GP do Canadá. Vettel, apesar de estar pertinho, ficou mais uma vez atrás do companheiro de equipe. Mas a verdade é que as duas melhores equipes do ano vão com estratégias diferentes para a corrida, e nessa a Red Bull pode levar a melhor. Alonso fechou a segunda fila, mostrando que, apesar dos carros de Maranello não terem um bom desenvolvimento, ele tem muito braço. Pior pra Massa que ficou apenas em sétimo, atrás de Button e Liuzzi. Por falar nisso o desempenho dos carros indianos é surpreendente, tendo colocado seus dois pilotos no Q3 (Sutil em 9º). Mas feio mesmo ficou pra Mercedes que passou apenas com Rosberg para a última parte do treino, sendo que este não conseguiu nada melhor que o décimo posto. E Schumacher que ficou pelo Q2 em 13º. Destaque ainda pra Senna 22º, que bateu Di Grassi e Chandhok respectivamente. Mais inusitado que as Force Indias andando bem, foi ver Hamilton empurrando sua McLaren de volta para os boxes, para preservar ao menos um litro de combustível exigido pelo regulamento. Amanhã o GP do Canadá será disputado às 13:00h, horário de Brasília, e graças a previsão de chuva devemos ter uma corrida daquelas.


Aos tempos:

Q3
1. Hamilton McLaren-Mercedes 1.15,105
2. Webber Red Bull-Renault 1.15,373
3. Vettel Red Bull-Renault 1.15,420
4. Alonso Ferrari 1.15,435
5. Button McLaren-Mercedes 1.15,520
6. Liuzzi Force India-Mercedes 1.15,648
7. Massa Ferrari 1.15,688
8. Kubica Renault 1.15,715
9. Sutil Force India-Mercedes 1.15,881
10. Rosberg Mercedes 1.16,071

Q2
11. Barrichello Williams-Cosworth 1.16,434
12. Hulkenberg Williams-Cosworth 1.16,438
13. Schumacher Mercedes 1.16,492
14. Petrov Renault 1.16,844
15. Buemi Toro Rosso-Ferrari 1.16,928
16. Alguersuari Toro Rosso-Ferrari 1.17,029
17. de la Rosa Sauber-Ferrari 1.17,384

Q1
18. Kobayashi Sauber-Ferrari 1.18,019
19. Kovalainen Lotus-Cosworth 1.18,237
20. Trulli Lotus-Cosworth 1.18,698
21. Glock Virgin-Cosworth 1.18,941
22. Senna HRT-Cosworth 1.19,484
23. di Grassi Virgin-Cosworth 1.19,675
24. Chandhok HRT-Cosworth 1.27,757


Tudo se encaminhava para mais uma corrida chata com total supremacia da RBR. Webber largou e manteve a dianteira, Hamilton seguiu em segundo até ser ultrapassado pela RBR de Vettel. Só que lá pela 40ª volta o alemão resolveu ir pra cima do líder do campeonato e fez besteira. Os carros da mesma equipe se enrroscaram e Vettel acabou abandonando. Saiu do carro chamando o companheiro de maluco. O australiano parou mais uma vez para trocar o bico avariado, mas conseguiu chegar em terceiro e manteve a liderança do campeonato. Hamilton aproveitou a confusão e venceu o GP da Turquia. Button veio logo atrás confirmando a dobradinha da McLaren e garantindo o topo da tabela dos construtores. Massa e Alonso não conseguiram nada mais que o 7º e 8º lugares respectivamente e a festa do 800º GP da Ferrari ficou meio murcha. Destaque para Petrov, que marcou a volta mais rápida da corrida. Pena que em uma disputa com Alonso pela oitava posição, o russo teve o pneu furado e caiu para a 15ª posição. Schumacher mais uma vez chegou em 4º à frente de Rosberg.

GP da Turquia:
1 – Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) – 1h28m47s620
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 2s645
3 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 24s285
4 – Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 31s110
5 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 32s266
6 – Robert Kubica (POL/Renault) – a 32s824
7 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 36s635
8 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 46s544
9 – Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) – a 49s029
10 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1m05s650
11 – Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) – a 1m05s944
12 – Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) – a 1m07s800
13 – Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) – a 1 volta
14 – Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) – a 1 volta
15 – Vitaly Petrov (RUS/Renault) – a 1 volta
16 – Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) – a 1 volta
17 – Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) – a 1 volta
18 – Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) – a 2 voltas
19 – Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) – a 3 voltas
20 – Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth) – a 6 voltas/mecânico

Não classificados:
Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) – a 12 voltas/mecânico
Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – a 19 voltas/acidente
Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) – a 25 voltas/mecânico
Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) – a 26 voltas/mecânico

Melhor volta: Vitaly Petrov (RUS/Renault) – 1m29s165, na 57ª volta

Campeonato Pilotos:
1. Webber 93
2. Button 88
3. Hamilton 84
4. Alonso 79
5. Vettel 78
6. Massa 67
7. Kubica 67
8. Rosberg 66
9. Schumacher 34
10. Sutil 22
11. Liuzzi 10
12. Barrichello 7
13. Petrov 6
14. Alguersuari 3
15. Hulkenberg 1
16. Buemi 1
17. Kobayashi 1

Construtores:
1. McLaren-Mercedes 172
2. Red Bull-Renault 171
3. Ferrari 146
4. Mercedes 100
5. Renault 73
6. Force India-Mercedes 32
7. Williams-Cosworth 8
8. Toro Rosso-Ferrari 4
9. Sauber-Ferrari 1