Pois é, depois de muitas voltas pelos circuitos espanhois de Valência, Jerez e Barcelona, a pré-temporada da Fórmula 1 chegou ao fim. Quase todo mundo testou. Algumas descobriram que construíram um bom carro, outras sentiram o peso de disputar a temporada anterior até o fim. E algumas descobriram que terão muito trabalho pela frente. Mas isso acontece todo ano. Os dias de testes só serviram para confundir os torcedores. Não se pode afirmar quem está na frente, quem tem o melhor carro, quem vai brigar pelo título, simplesmente porque não sabemos o que cada equipe estava testando nos dias em que marcaram seus melhores tempos. Mas podemos destacar alguns pontos interessantes que deixam transparecer como será a briga pelo mundial 2010.

Ferrari, que é apontada por muitos como favorita, não consegue esconder que tem um conjunto bem acertado, tanto para classificação como para corrida, onde o carro deve sofrer muitas alterações entre o começo das provas, com o tanque cheio e o final, bem mais leve. Com a experiência de Felipe Massa na equipe, e o talento da Alonso ao seu lado, o time de Maranello terá o carro a ser batido este ano.

McLaren, veio crescendo nos dias de testes e atualmente encontra-se em condições de rivalizar com a Ferrari pelo título. Com um conjunto aerodinâmico muito eficiente e os últimos dois campeões mundiais em seus cockpits, o time inglês mostra força e deixa claro que a decisão de Button de sair da Brawn foi certeira. Pena pra ele ter Lewis Hamilton como vizinho.

Red Bull, foi a grande inspiração para os projetistas da maioria dos carros de 2010. O carro projetado por Adrian Newey em 2009 mostrou toda sua força nas últimas provas, levando Vettel e Webber a disputar o título com os invenssíveis Brawn de Ross. Este ano o RB6 chegou um pouco atrasado, mas mantém o potencial apresentado pelo seu antecessor. Parece um carro muito veloz para classificação, mas precisa evoluir um pouco em ritmo de corrida.

A Mercedes chegou com pompa, comprou o time campeão de 2009, ressuscitou a lenda Michael Schumacher, construiu um carro muito bonito e prateado, mas parece estar abaixo das três primeiras. Paga o preço pelo título do ano passado. O carro de Schumi e Rosberg, na verdade lembra muito o Brawn do final de 2009, que estacionou enquanto as outras evoluíram. Resta aos torcedores confiar na velha eficiência alemã do hepta-campeão.

A surpresa por enquanto fica pelo ressurgimento da Williams nas primeiras posições. Nas mãos de Barrichello e Hülkenberg, o carro azul empurrado pelo motor Cosworth, parece recuperar um pouco do terreno perdido nos últimos anos. Nada que assuste as grandes, mas pode arranhar um pódio aqui outro ali.

A Sauber também surpreendeu logo de cara, mas fico com o pé atrás, principalmente por conta do carro não estampar um patrocínio de peso. Não que esteja duvidando do talento de Pedro de la Rosa e Kamui Kobayashi, mas os bons tempos devem ter sido marcados com pouco combustível tendo como objetivo atrair investidores para o time.

A Renault, que não é mais a mesma, não faz medo a ninguém e não deve realizar grandes apresentações. Pena, pois Robert Kubica merecia um carro muito mais competitivo para desenvolver e demonstrar todo o seu talento. Vamos ver o que ele consegue por lá, pois de Petrov não se pode esperar muito além do dinheiro da mãe Rússia.

As demais, Force India, Toro Rosso, Lotus, Virgin, e quem sabe Campos e Stefan GP, só farão número. As duas primeiras, como nos últimos tempos, são times de lanterna. Mas este ano as últimas posições serão disputadas. Lotus e Virgin, tem carros muito aquém do esperado. Pior para Di Grassi que terá de trabalhar muito no desenvolvimento do mesmo. As duas últimas até agora estão devendo o carro e pelo que se fala por aí, falta grana para a primeira e uma vaga para a segunda. Bruno Senna, apesar da aparente tranquilidade, deve estar arrancando os cabelos e se perguntando como entrou nessa.
Aqui os melhores tempos em cada sessão de treino:

Só saberemos quem está falando a verdade no Bahrein.

Blog Widget by LinkWithin